A reclamação de Habacuque e a resposta de Deus

Olá galera!maxresdefaulth

No dia 20 de janeiro, eu postei aqui uma “introdução” ao livro do profeta Habacuque feita pelo Eugene Peterson. Fiz isso com a intenção de, posteriormente, colocar aqui uma reflexão minha sobre o mesmo livro, e é isso que vou fazer hoje. É claro que, depois de postar um texto do Eugene Peterson, dá até vergonha de postar algo escrito por mim…hehehehe. Mas vamos lá:

Tudo começa com as reclamações de Habacuque, no capítulo 1, sobre os dias terríveis que o povo estava vivendo: “Até quando, Senhor, clamarei por socorro, sem que tu ouças? Até quando gritarei a ti: “Violência! ” sem que tragas salvação? Por que me fazes ver a injustiça, e contemplar a maldade? A destruição e a violência estão diante de mim; há luta e conflito por todo lado.” Dá pra gente se identificar bastante com esses perguntas, não é mesmo? Temos vivido tempos de injustiça, corrupção e violência que nos levam a fazer coro com Habacuque nessas perguntas.

Assim como o profeta, nós cristãos, estamos vivendo no meio de um povo pecaminoso, que rejeitou o Senhor e seus mandamentos. Que escolheu viver sem Deus e está colhendo os frutos disso. Vivemos em uma sociedade que coloca o ser humano no centro de tudo, fazendo dos homens deuses de suas próprias vidas. E como todos os seres humanos são maus, egoístas e falhos, colocar a gente pra governar qualquer coisa, mesmo que seja só a nossa própria vida, vai dar errado 100% das vezes. Mas vamos continuar nossa caminhada com Habacuque pra ver onde vai dar.

Chegando ao capítulo 2, encontramos um Habacuque que decide esperar uma resposta de Deus ao seu desabafo: “Ficarei no meu posto de sentinela e tomarei posição sobre a muralha; aguardarei para ver o que ele me dirá e que resposta terei à minha queixa.”

Sempre que falamos com Deus devemos esperar uma resposta. Nossa tendência, quando se trata de nossas orações e súplicas, é falar, falar, pedir, reclamar, e ir embora “cuidar da nossa vida”. Não temos o hábito de esperar em silêncio uma resposta do Senhor. Não temos o hábito de abrir nossas Bíblias após uma oração para ler as palavras de nosso Senhor. Mas Habacuque sabia que estava falando com um Deus vivo, que o responderia. E é isso que Deus faz!

Resumidamente, o Senhor diz que o povo de Israel o rejeitou e, por isso, será punido através de um ataque da Babilônia. Como os babilônios também rejeitaram o Senhor e são até piores em seus comportamentos do que Israel, eles também serão punidos posteriormente. Para finalizar, Deus diz que tudo isso está sendo feito para que a Terra se encha da glória Dele e para que todos os povos reconheçam que ele é o único Deus!

Para fechar com chave de ouro o capítulo 2, Habacuque diz: “O Senhor está em seu santo templo; diante dele fique em silêncio toda a terra”.

Após ouvir toda a resposta do Senhor, Habacuque percebe que só há uma coisa a fazer: reconhecer que está lidando com alguém infinitamente superior a ele, com um Deus supremo, soberano, justo, que não vai tolerar o pecado de ninguém! Nem mesmo do seu próprio povo! Habacuque, então, se prostra diante desse Deus e diz: “Ó Eterno, ouvi o que nossos antepassados disseram de ti. Fiquei paralisado e caí de joelhos. Faz entre nós o que fizeste entre eles. Opera entre nós como operaste entre eles. E, quando executares algum juízo, o que é necessário, lembra-te também da tua misericórdia.” Não vejo nenhuma oração mais apropriada que essa para fazermos hoje. Precisamos da intervenção Dele! Precisamos que Deus exerça juízo para que seja formada uma sociedade que o conheça, que conheça a glória Dele e que, por isso, seja justa e honesta. Mas também precisamos de misericórdia porque somos pecadores. Precisamos de perdão e salvação para sobrevivermos ao juízo e adentrarmos nessa nova nação.

E é somente depois de passarmos pelas mesmas fases que o profeta passou, que poderemos entender suas palavras finais:

Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação. Habacuque 3:17,18

Quando entendemos quão grande, soberano, poderoso, e ao mesmo tempo, quão amoroso, misericordioso e perdoador o nosso Deus é. E quando entendemos que Ele trabalha continuamente para que Sua glória encha a Terra, descobrimos que não importam as circunstâncias, devemos continuar fiéis a Ele!

Glórias a esse Deus maravilhoso e uma boa semana a todos!

 

Anúncios

Sobre noquartodopai

Em primeiro lugar, sou filha de Deus e imitadora de Jesus Cristo. Sou também uma pessoa abençoada com um marido, uma família, uma igreja e amigos que amo demais! Adoro ler, assistir seriados e filmes e aproveitar a companhia dos meus amigos. Além disso, tento postar sempre no blog para que ele nunca fique desatualizado e para que todos possam sempre ler algo de Deus aqui!
Esta entrada foi publicada em Textos com as etiquetas , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s