Sobre fazer o mínimo

Olá pessoas!

Existe um pequeno trecho do livro Peso de Glória, do C. S. Lewis, que eu sempre tive vontade de compartilhar com vocês, e hoje é o dia! Yeeeeyyyy!

Vou colocar o texto primeiro e depois escrever algumas coisinhas sobre ele.

Minha tentação mais recorrente é esta: ir até aquele mar (se não me engano, São João da cruz chamou Deus de mar) e, chegando lá, jamais mergulhar, nadar ou flutuar, mas apenas tocar ou bater na água, com todo cuidado para não ir muito fundo e ficar perto da corda de segurança que me conecta com as coisas temporais.

Isso pode ser muito diferente das tentações que encontramos no início da vida cristã. Naquele tempo, lutávamos (pelo menos eu lutava) contra a admissão de que o Eterno sequer existisse. E, depois de termos lutado e sido feridos e rendidos, supúnhamos que tudo não passara de uma viagem tranquila. E essa tentação vem mais tarde. Ela é endereçada àqueles que já admitiram que Deus existe e que estão empreendendo esforços para ir ao encontro dessa admissão. Nossa tentação é buscar ansiosamente o mínimo que será aceito. De fato, somos como pagadores de impostos, honestos, mas relutantes. Admitimos a necessidade do imposto de renda, em princípio. Fazemos as declarações de maneira honesta, mas temos pavor do aumento de impostos. Temos todo cuidado de não pagar mais do que necessário e esperamos – com todo o fervor – que, depois de pagarmos, ainda reste o suficiente para sobreviver.

Estamos na corda bamba...Até quando

Esse é um texto que amo e temo ao mesmo tempo. Eu o amo porque vejo nele verdades que precisam ser ditas, vejo nele conselhos e alertas que precisam ser dados. Mas tenho medo dele porque ele expõe uma tentação que está muito presente em minha vida, e à qual, muitas vezes, eu não consigo resistir: a tentação de fazer o mínimo possível pra agradar a Deus.

Vou tentar tornar todo esse pensamento mais prático. Primeiramente, entendamos que esse é um texto dirigido a pessoas que creem em Deus, que o amam e que buscam obedecer Seus mandamentos. Uma vez que nos convertemos, temos o dever de saber o que diz a Bíblia. Temos o dever de ler, estudar, entender e viver o que lá está escrito. Conforme praticamos esse “exercício de leitura da Palavra” vamos nos tornando mais conscientes de nossos erros, dos caminhos errados que escolhemos e das coisas que fazemos que não agradam a Deus. Somos, então, chamados por Deus a nos arrependermos e mudarmos nossas atitudes.  Algumas coisas até conseguimos deixar para trás com certa facilidade, outras são bem difíceis. E assim a caminhada vai, sempre com Deus trabalhando para nos tornar semelhantes a Jesus! (Detalhe: se você é cristão e nunca passou pelo processo acima você, na verdade, não é cristão).

A questão é que, a cada alerta de Deus temos a opção de obedecer ou não. Por exemplo, se Deus me mostra que eu estou agindo de maneira muito nervosa no meu ambiente de trabalho e que isso não é um bom testemunho eu terei, imediatamente, duas opções: inventar um monte de desculpas para mim mesmo dizendo que meu comportamento é aceitável porque meu trabalho é horrível e meus funcionários são incompetentes; ou eu posso me arrepender, pedir perdão a Deus, controlar minhas atitudes e reconhecer que não há nenhuma circunstância no mundo que justifique minha atitude, já que meu Senhor Jesus Cristo passou por coisas muito piores, foi traído por seus amigos, e nunca descontou em ninguém.

Eu poderia dar mais um bilhão de exemplos aqui, mas acho que já deu pra ilustrar e chegarmos à nossa conclusão. São essas escolhas do dia-a-dia que determinarão se estamos nos entregando totalmente a Deus, ou se estamos entregando o mínimo possível só pra não ir pro inferno. O perigo de viver no mínimo é que você nunca sabe quando ele deixará de ser o mínimo e passará a ser condenação. Então, o desafio para mim e para vocês hoje é que não vivamos lendo o mínimo possível da Bíblia, indo o mínimo possível na igreja, falando o mínimo possível de Jesus ou mudando o mínimo possível nossas atitudes. Com Deus é tudo ou nada, é impossível servir a dois senhores ao mesmo tempo. Ou servimos a nós mesmos, ou servimos a Deus.

Que Deus nos abençoe, nos ajude, nos perdoe e tenha misericórdia de nós!

 

 

Anúncios

Sobre noquartodopai

Em primeiro lugar, sou filha de Deus e imitadora de Jesus Cristo. Sou também uma pessoa abençoada com um marido, uma família, uma igreja e amigos que amo demais! Adoro ler, assistir seriados e filmes e aproveitar a companhia dos meus amigos. Além disso, tento postar sempre no blog para que ele nunca fique desatualizado e para que todos possam sempre ler algo de Deus aqui!
Esta entrada foi publicada em Textos com as etiquetas , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s